ONU aprova investigação sobre ofensiva militar de Israel na Faixa de Gaza

23/07/2014

O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou hoje (23) resolução que condena a atual ofensiva militar de Israel na Faixa de Gaza e anunciou a criação de uma comissão internacional para investigar todas as violações e julgar os responsáveis.
Soldados israelenses durante ofensiva terrestre na Faixa de Gaza Direitos Reservados/Alaa Badarneh/Agência Lusa

Iniciada em 8 de julho e seguida por uma intervenção terrestre que começou na última quinta-feira (17), a ação militar já provocou a morte a mais de 670 palestinos, a maioria civil. Do lado israelense foram confirmadas 32 mortes entre os militares e duas de civis.
A resolução na ONU, apresentada pela Palestina, foi aprovada durante sessão extraordinária do conselho por 29 votos a favor, 1 voto contra (Estados Unidos) e 17 abstenções. Além do Japão, todos os países europeus presentes, incluindo a França, o Reino Unido e a Alemanha, optaram pela abstenção.
Antes da aprovação, a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, tinha apelado para a instauração de inquérito sobre possíveis crimes de guerra cometidos por Israel em Gaza, e denunciado os ataques do Hamas contra zonas civis em território israelense.
O texto ainda pede que os palestinos sejam imediatamente colocados sob “proteção internacional”, apela ao “fim imediato dos ataques militares israelenses” e ao “fim dos ataques contra civis".
A resolução defende ainda que a Suíça organize uma conferência urgente sobre a situação nos territórios ocupados. Uma carta nesse sentido, com data de 9 de julho, já foi enviada ao governo suíço pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

Agência Brasil


Laranjeiras: Prefeitura promove ciclo de palestras para estudantes da rede municipal

A prefeitura de Laranjeiras, através da secretaria municipal de Educação está realizando na tarde destas quarta e quinta-feiras, (23 e 24), no Clube Recreativo Antônio Carlos Franco, o I Ciclo de Palestras e Reflexões sobre uma educação na construção de valores humanos. O evento está sendo direcionado aos estudantes do 6º ao 9º ano da Escola Municipal Dr. Lourival Baptista.

(Foto: DECOM)
Nesta tarde, as atividades foram iniciadas com a palestra 'Relação Escola/Família x Valores Humanos', proferida pela psicóloga, Leila Costa. Em seguida, a enfermeira e assistente social, Veronalda Andrade abordou o tema 'Drogas Psicotrópicas e Alucinógenas'. Logo após, os alunos assistiram a uma apresentação teatral sobre bulling e cyberbulling, com o coordenador do Desarma/SE, Fábio Costa.
"A nossa proposta com a realização deste evento, promovido para os estudantes da Escola Municipal Dr. Lourival Baptista é cultuar uma educação mais valorizativa e humanitária, com o objetivo de combater qualquer tipo de violência e agressão no ambiente escolar e na comunidade. Acredito que, nestes dois dias, os estudantes possam refletir um pouco acerca dos temas", disse a orientadora pedagógica da escola, Jaqueline Freire dos Santos.

Confira a programação desta quinta-feira;
13h - Apresentação Cultural
Tema: Recital de Poesia
Facilitadores: Alunos do 9º Ano B

14h - Palestra
Tema: Educação em Valores Humanos - Por uma Educação Humanitária
Palestrante: Rosemary Santos

14h30min - Palestra
Tema: O valor Humano na Criança e no Adolescente.
Palestrantes: representantes do Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente - Charline Menezes Almeida e Cristiane Oliveira.

15h - Intervalo para o Lanche

15h30min - Palestra
Tema: A Importância dos Direitos Humanos para a Educação
Palestrante: Eliana Barreto Azevedo

16h - Encerramento
Apresentação do Conto Africano Egiobe, cujo tema será a 'Valorização e Identificação Etnicorracial.
Facilitadora: Alexandra Dumas.

TDantas Comunicação e Marketing/DECOM PML.



Jucese e Polícia Federal firmam convênio para identificar fraudes

A Junta Comercial de Sergipe será parceira da Polícia Federal em mais um convênio. Dessa vez, a fim de garantir mais segurança para a sociedade e coibir fraudes, a PF solicitou acesso ao banco de dados da Jucese, que é vasto em informações.



A assinatura ocorreu na reunião Plenária de quarta-feira, dia 23, e contou com a participação de todos os Vogais da autarquia e do delegado Márcio Alberto Gomes Silva, que representou a Superintendência da Polícia Federal em Sergipe.

Para Márcio, o apoio de instituições parceiras, como a Jucese, é fundamental na identificação de infrações. “Tendo acesso aos contratos sociais e às posteriores alterações neles, conseguiremos vislumbrar as possíveis fraudes”, acredita o delegado.

Com a documentação enviada à Jucese para a maioria doa atos, é preciso, por exemplo, identificar uma tentativa de falsidade ideológica, já que os julgadores dos processos se atentam especialmente para assinaturas e documentos pessoais apresentados.

“O trabalho da Jucese na aprovação, homologação e arquivamento é muito importante, pois é conferindo a documentação que se pode detectar uma inconsistência. Sempre tivemos acesso aos dados, mas apenas quando os solicitávamos, via ofício. Agora, será mais ágil obter as informações”, argumenta Márcio.

De acordo com George da Trindade Gois, presidente da Jucese, a parceria será, de fato, fundamental. “Vai agilizar o fluxo do processo, ao passo que não precisaremos enviar os dados à PF. Além disso, haverá mais segurança tanto para os usuários quanto para nós”, analisa George.

O presidente lembra que já ouve uma melhora significativa na análise dos processos, no que diz respeito à conferência de informações e documentos. “No entanto, nada é tão bom que não possa melhorar. E nosso objetivo é dar cada vez mais segurança e agilidade para o usuário. Com as dicas e orientações da PF, isso será mais fácil”, assegura.

A procuradora Maria Edilene Conrado, que atua na Jucese, ressalta que o Brasil vive um estágio intermediário entre a total digitalização dos processos e a constante busca pela desburocratização, mas tudo isso sem perder a segurança. “Por isso, trabalhar em conjunto com a PF é uma satisfação, pois estamos num momento de evolução”, opina.

Ascom





Prefeitura retoma entrega de casas em Maruim, SE

Nesta terça-feira, 22, a Prefeitura de Maruim, através da Secretaria de Ação Social, Habitação e Trabalho, retomou a entrega de casas do programa “Minha Casa, Minha Vida 2”.
(Fotos: Ascom).

“Desde abril do ano passado lutamos para conseguir, junto ao Governo Federal, os recursos para a construção destas casas no município”, destacou o prefeito, Jeferson Santana. De acordo com o gestor, a iniciativa visa à erradicação das casas de taipa na sede e nos povoados.


Segundo o beneficiário do povoado João Gomes de Melo (povoado Pau Ferro), Rogério dos Santos Rebouças, a moradia chegou em um bom momento. “Nem tenho palavras para agradecer”, afirmou. Com a entrega desta casa, já foram entregues dez casas na zona rural. A primeira casa construída na sede municipal foi entregue hoje, no bairro Coelho, a senhora Maria Neilde da Cruz Santos. No total a população será contemplada com 31 casas, 11 nos povoados e 20 na sede municipal.


O modelo padrão da casa apresenta em sua estrutura: dois quartos, cozinha, área de serviço, banheiro e sala. A casa é revestida de cerâmica no piso e nas paredes, possuem energia elétrica, água encanada e caixa d’ água.
A cerimônia de entrega das casas contou com a presença do prefeito Jeferson Santana, da secretária municipal de Ação Social, Habitação e Trabalho, Tânia Maynart, da coordenadora do CRAS, Amanda Santana e outras lideranças municipais.
  
Assessoria de Comunicação




“Mão Amiga” beneficia mais de cem pessoas em Maruim, SE

21/07/2014

O programa de transferência de renda “Mão Amiga” beneficia 122 trabalhadores da cana de açúcar em Maruim. A ação resulta da parceria firmada entre a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides), Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

(Fotos: Ascom)
A ação garante quatro parcelas de R$ 190,00 no período de entressafra da cana-de-açúcar ao trabalhador que realiza o cadastro e participa das atividades de cunho educacional. De acordo com a coordenadora do Cras de Maruim, Amanda Santana, o programa garante a estabilidade econômica aos trabalhadores. “Essa renda é a forma de manter a mínima condição para quem depende desta cultura agropecuária”, destacou.
O número de beneficiários do programa no município representa aproximadamente 4% do total do Estado. De acordo com dados da produção agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em Maruim, foram plantados 1.538 hectares de cana-de-açúcar, que resultou numa produção de 92.280 toneladas. Os dados são relativos ao ano de 2012.
Neste ano, os trabalhadores rurais de Maruim receberam os cartões e as senhas para o recebimento do benefício. A entrega aconteceu no Ginásio de Esportes do Sesi, no dia 11 de julho.

 Assessoria de Comunicação


 
© Copyright 2013 - 2014 - Todos os Direitos Reservados| Riachuelo news Blogger.com
Contato: riachuelonews@gmail.com